Ambiente obesogênico universitário: achados de uma cidade brasileira

Resumo

Introdução: O contexto em que as populações vivem pode influenciar negativamente a qualidade da sua alimentação, constituindo os chamados ambientes obesogênicos. O objetivo desse estudo foi avaliar os tipos de comércios existentes e a disponibilidade de alimentos comercializados em relação ao seu grau de processamento industrial, dentro e ao redor da Universidade Federal de Juiz de Fora. Métodos: Trata-se de estudo exploratório, no qual foram avaliados todos os comércios de alimentos localizados dentro de um buffer de raio de 500 metros. Foram coletados dados de latitude e longitude dos estabelecimentos e informações dos alimentos comercializados. Os estabelecimentos foram agrupados de acordo com suas características e de acordo com grau de processamento da maioria dos alimentos vendidos. Utilizou-se o Teste Exato de Fisher para testar a associação entre tipo de estabelecimento e grau de processamento da predominância dos alimentos comercializados. Para avaliar possíveis aglomerações, foram feitos mapas de densidade de Kernel. Resultados: Foram avaliados 39 comércios que ofereciam, predominantemente, alimentos ultraprocessados e aglomeravam-se no centro da área estudada. Conclusão: Observa-se que o ambiente alimentar no qual os frequentadores da instituição estão expostos pode ser classificado como ambiente não promotor de uma alimentação saudável

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bianca Elidia Sodré, Particular

Nutricionista, formada pela universidade federal de Juiz de Fora.

Maria Alvim Leite, Universidade de São Paulo (USP)

Doutoranda em Saúde Coletiva pela Universidade de São Paulo (USP) desde março de 2017. Mestre em Saúde Coletiva pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) em fevereiro de 2017. Integrante do Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde (Nupens) da USP. Trabalhou como assistente editorial no World Public Health Nutrition Association (WPHNA) Journal de 2014 a 2016. Graduada em Nutrição pela UFJF em agosto de 2014. Realizou parte da graduação na Universidade do Porto (Portugal) em 2013. Áreas de interesse: saúde pública, epidemiologia nutricional, ambiente alimentar, obesidade infanto-juvenil.

Mirella Lima Binoti, Universidade Federal de Viçosa

Possui graduação em Nutrição pela Universidade Vila Velha (2003), mestrado em Biologia Vegetal pela Universidade Federal do Espírito Santo (2006) e doutorado em Ciência e Tecnologia de Alimentos pela Universidade Federal de Viçosa (2012). Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal de Viçosa. Tem experiência na área de Nutrição, com ênfase em Dietética, Ciência e Tecnologia dos Alimentos e em Gestão de Unidades de Alimentação e Nutrição.

Referências

Swinburn B, Egger G, Razza F. Dissecting Obesogenic Environments: The Development and Application of a Framework for Identifying and Prioritizing Environmental Interventions for Obesity. Prev Med 1999; 29:563–570.

Matozinhos FP. Fatores ambientais e individuais associados à obesidade [tese]. Belo Horizonte: Escola de Enfermagem da Universidade Federal de Minas Gerais; 2015.

Glanz K. Measuring food environments: a historical perspective. American Journal of Preventive Medicine 2009; 36(4): S93-S98.

Glanz K, Sallis JF, Saelens BE, Frank LD. Healthy nutrition environments: concepts and measures. American Journal of Health Promotion 2005; 19(5): 330-333.

Bezerra IN, Sichieri R. Características e gastos com alimentação fora do domicílio no Brasil. Rev Saude Publica 2010; 44(2):221-229.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Pesquisa de Orçamentos Familiares 2017-2018: primeiros resultados. Coordenação de Trabalho e Rendimentos. Rio de Janeiro: IBGE; 2019. 69p

Bleil SI. O Padrão Alimentar Ocidental: considerações sobre a mudança de hábitos no Brasil. Rev Cadernos de Debate 1998; 6(1):1-25.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Guia alimentar para a população brasileira. Brasília; 2014

Bezerra IN, Souza AM, Pereira RA, Sichieri R. Consumo de alimentos fora do domicílio no Brasil. Rev Saude Publica 2013; 47(1):200s-211s.

Martins APB, Levy RB, Claro RM, Moubarac JC, Monteiro CA. Participação crescente de produtos ultraprocessados na dieta brasileira (1987-2009). Rev Saude Publica 2013; 47(4):656-665.

Zong G, Eisenberg DM, Hu FB, Sun Q. Consumption of meals prepared at home and risk of type 2 diabetes: an analysis of two prospective cohort studies. PLoS Medicine 2016; 13(7):e1002052.

Lytle LA. Measuring the Food Environment: State of the Science. Am J Prev Med 2009; 36(4):S134-S144.

Alves HJ, Boog MCF. Comportamento alimentar em moradia estudantil: um espaço para promoção da saúde. Rev Saude Publica 2007; 41(2):197-204.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Cidades 2020. Disponível em: https://cidades .ibge.gov.br/brasil/mg/juiz-de fora/ panorama. Acessado em: 27 mar. 2020.

Stamm C, Staduto JAR, Lima JF, Wadi YM. A população urbana e a difusão das cidades de porte médio no Brasil. Interações (Campo Grande) 2013; 14(2):251-265. <http://www.interacoes.ucdb.br/article/view/210>

Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Acesso a informação [sítio virtual] 2020 Disponível em: http://www.ufjf.br/ufjf/acesso-a-informacao/alunos/. Acessado em: 27 mar. 2020.

Leite FHM, Oliveira MAD, Cremm EDC, Abreu DSCD, Maron LR, Martins PA. Availability of processed foods in the perimeter of public schools in urban areas. J Pediatr (Rio J) 2012; 88(4):328-334.

Willett W, Skerrett PJ, Giovannucci EL, Callahan M. Eat, drink, and be healthy: the Harvard Medical School Guide to Healthy Eating. New York: Simon & Schuster Source; 2001.

Monteiro CA, Cannon G, Levy RB, Moubarac J-C, Jaime P, Martins AP, Canella D, Louzada ML, Parra D. NOVA. A estrela brilha. Classificação dos alimentos. Saúde Pública. World Nutrition 2016; 7(1-3):28-40.

Cohen JA. Power primer. Psychological Bulletin 1992; 112(1):155-159.

Morland K, Wing S, Roux AD, Poole C. Neighborhood characteristics associated with the location of food stores and food service places. American Journal of Preventive Medicine 2002; 22(1): 23-29.

Walker RE, Keane CR, Burke JG. Disparities and access to healthy food in the United States: A review of food deserts literature. Health & Place 2010; 16(5): 876-884.

Machado PP, Claro RM, Canella DS, Sarti FM, Levy RB. Price and convenience: The influence of supermarkets on consumption of ultra-processed foods and beverages in Brazil. Appetite 2017; 116: 381-388.

Laska MN, Hearst MO, Lust K, Lytle LA, Story M. How we eat what we eat: identifying meal routines and practices most strongly associated with healthy and unhealthy dietary factors among young adults. Public Health Nutrition 2015; 18(12): 2135-2145.

Mackay S, Vandevijvere S, Xie P, Lee A, Swinburn B. Paying for convenience: comparing the cost of takeaway meals with their healthier home-cooked counterparts in New Zealand. Public Health Nutrition 2017; 1-8.

Cota RP, Miranda LS. Associação entre constipação intestinal e estilo de vida em estudantes universitários. Rev Bras Nutr Clin 2006; 21(4):296-301.

Pulz IS. Ambiente Alimentar do Campus Sede da Universidade Federal de Santa Catarina [dissertação]. Florianópolis: Programa de Pós-Graduação em Nutrição da Universidade Federal de Santa Catarina; 2014.

Popkin BM, Duffey K, Gordon-Larsen P. Environmental influences on food choice, physical activity and energy balance. Physiology & Behavior 2005; 86(5):603-613.

Cardoso RDCV, Souza EVAD, Santos PQD. Unidades de alimentação e nutrição nos campi da Universidade Federal da Bahia: um estudo sob a perspectiva do alimento seguro. Rev Nutr 2005; 18(5):669-680.

Byrd-Bredbenner C, Johnson M, Quick VM, Walsh J, Greene GW, Hoerr S, Horacek TM. Sweet and salty. An assessment of the snacks and beverages sold in vending machines on US post-secondary institution campuses. Appetite 2012; 58(3):1143-1151. 31. Tomer JF. Stemming the tide of obesity: What needs to happen. J Socio Econ 2013; 42:88-98.

Nordin SM, Boyle M, Kemmer TM. Position of the Academy of Nutrition and Dietetics: Nutrition security in developing nations: Sustainable food, water, and health. J Acad Nutr Diet 2013; 113(4):581-595.

Publicado
2020-10-26
Como Citar
Sodré, B. E., Leite, M. A., & Binoti, M. L. (2020). Ambiente obesogênico universitário: achados de uma cidade brasileira. Revista Da Associação Brasileira De Nutrição - RASBRAN, 12(1), 3-15. https://doi.org/10.47320/rasbran.2021.1744
Seção
Artigos Originais

Most read articles by the same author(s)