Equipamentos públicos para promoção da alimentação adequada e saudável: um estudo nos restaurantes populares do Rio Grande do Norte

  • Dinara Leslye Macedo Calazans UFRN
  • Nila Patrícia Freire Pequeno UFRN
  • Leonora Carla Araújo Pereira UFRN
  • Jessicley Ferreira Freitas UFRN
Palavras-chave: Alimentação, Alimentação saudável, Segurança alimentar e nutricional, Planejamento de cardápio, Políticas públicas

Resumo

Objetivo: Avaliar a refeição ofertada em unidades de alimentação e nutrição inseridas no Programa Restaurantes Populares do Estado do Rio Grande do Norte, frente às diretrizes para a promoção de uma alimentação saudável em equipamentos públicos de Segurança Alimentar e Nutricional (SAN). Método: Trata-se de um estudo descritivo, transversal, em quatro restaurantes populares no ano de 2017. A investigação incluiu: 1. Análise documental (do termo de referência dos contratos e reconhecimento do padrão dos cardápios e das fichas técnicas de preparação); 2. Medição in loco (Identificação dos utensílios de servir, medidas caseiras e pesagem das porções); 3. Observação não participante de uma reunião de equipe gestora e de responsáveis técnicos pelas unidades. Resultados: Observou-se uma oferta frequente de alimentos ou preparações com ingredientes ultraprocessados (acima de três vezes por semana) e falta de padronização dos utensílios utilizados para o porcionamento dos alimentos. Não se observou a realização nas unidades, de atividades educativas de promoção da alimentação saudável, voltadas para os usuários. Conclusão: Foram evidenciadas inadequações na confecção e na operacionalização dos cardápios, que dificultam a promoção de uma alimentação saudável e adequada aos usuários, conforme preconizado pelo Guia Alimentar para a população brasileira. Nesse sentido, observou-se que os objetivos do Programa Restaurantes Populares, como um equipamento público de SAN, não estão sendo plenamente atingidos nas unidades avaliadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dinara Leslye Macedo Calazans, UFRN
NUTRICIONISTA. DOUTORA EM ADMINISTRAÇÃO. PROFESSORA DO CURSO DE NUTRIÇÃO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE.
Nila Patrícia Freire Pequeno, UFRN
NUTRICIONISTA. DOUTORANDA EM SAÚDE COLETIVA. PROFESSORA DO CURSO DE NUTRIÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE.
Leonora Carla Araújo Pereira, UFRN
GRADUANDA EM NUTRIÇÃO NA FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE.
Jessicley Ferreira Freitas, UFRN
NUTRICIONISTA. DOUTORANDA EM CIÊNCIAS DA SAÚDE. PROFESSORA DO CURSO DE NUTRIÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE.

Referências

Souza EB. Transição nutricional no Brasil: análise dos principais fatores. Cadernos UniFOA. 2010;5(13): 49-53

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Alimentação e Nutrição. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2013.

Brasil. Decreto nº 7272, de 25 de agosto de 2010. Regulamenta a Lei no 11.346, de 15 de setembro de 2006, que cria o Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional - SISAN com vistas a assegurar o direito humano à alimentação adequada, institui a Política Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional - PNSAN, estabelece os parâmetros para a elaboração do Plano Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, e dá outras providências. Diário Oficial da União 26 ago 2010; Seção 1: 6-8.

Brasil. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Câmara Interministerial de Segurança Alimentar e Nutricional. Plano Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional: 2012/2015. Brasília, DF: CAISAN; 2011.

Brasil. Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário. Câmara Interministerial de Segurança Alimentar e Nutricional. Plano Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional - PLANSAN 2016-2019. Brasília, DF: CAISAN; 2017.

Brasil. Ministério da Saúde. Departamento de Atenção Básica. Guia alimentar para a população brasileira. 2. ed. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2014.

Brasil. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Manual Programa Restaurante Popular. Brasília, DF: Ministério; 2004.

Godoy KC, Sávio KEO, Akutsu RC, Gubert BM, Botelho RBA. Perfil e situação de insegurança alimentar dos usuários dos Restaurantes Populares no Brasil. Cad. Saúde Pública. 2014 Jun;30(6): 1239-49.

Secretaria de Estado do Trabalho, da Habilitação e da Assistência Social [Internet]. Natal: SETHAS; 2017 [acesso 05 set 2017]. Disponível em: http://www.sethas.rn.gov.br/Conteudo.asp?TRAN=ITEM&TARG=9940&ACT=&PAGE=0&PARM=&LBL=Restaurante+Popular

Araújo FR, Araújo MAD, Maia PB, Medeiros GCBS, Souza FJV. Programa Restaurante Popular: uma alternativa para promover o direito humano à alimentação adequada? Emancipação. 2015;15(1): 143-54.

Flick U. Introdução à pesquisa qualitativa. 3. ed. Porto Alegre: Artmed; 2009.

Silva DE. Restaurante popular: uma forma de acesso à alimentação adequada. Pelotas , RS. Mestrado [Dissertação em Política Social] - Universidade Católica de Pelotas. Centro de Ciências Jurídicas, Econômicas e Sociais; 2012.

Carrijo AP. Avaliação do consumo alimentar nos Restaurantes Populares do Brasil. Brasília, RS. Mestrado [Dissertação em Nutrição Humana] - Universidade de Brasília. Faculdade de Ciências da Saúde; 2013.

Abreu ES, Spinelli MGN, Zanardi AMP. Gestão de Unidades de Alimentação e Nutrição: um modo de fazer. São Paulo: Metha; 2003.

Rocha NP, Milagres LC, Longo GZ, Ribeiro AQ, Novaes JF. Association between dietary pattern and cardiometabolic risk in children and adolescents: a systematic review. J Pediatr (Rio J). 2017; 93: 214-22.

Alves YF, Silva CR, Spinelli MGN. Teor de sódio e contribuição calórica de alimentos ultraprocessados no cardápio de uma unidade de alimentação e nutrição escolar em São Paulo – SP. Rev. da Univ. Vale do Rio Verde. 2018; 16(1).

Bezerra IN, Junior EV, Pereira RA, Sichieri R. Away-from-home eating: nutritional status and dietary intake among Brazilian adults. Public Health Nutr 2014; 18(6): 1011-7.

Ribeiro AA, Pessoa MTG, Azevedo SMU, Oliveira VTL, Meireles AL. Caracterização socioeconômica, estado nutricional e prevalência de insegurança alimentar em idosos usuários do restaurante popular de um município do nordeste brasileiro. Rev. Ciência Plural. 2016;2(3): 59-71.

Cembranel FM, Ribeiro MG. Políticas municipais de segurança alimentar e nutricional em Chapecó – SC. In: Equipamentos públicos de segurança alimentar e nutricional. Porto Alegre, RS: Evangraf; 2011.

Bonfim VMS, Feitosa EC. Ações educativas nos equipamentos públicos de alimentação e nutrição de Lauro de Freitas - BA. In: Equipamentos públicos de segurança alimentar e nutricional. Porto Alegre, RS: Evangraf; 2011.

Publicado
2018-12-27
Como Citar
Calazans, D. L. M., Pequeno, N. P. F., Pereira, L. C. A., & Freitas, J. F. (2018). Equipamentos públicos para promoção da alimentação adequada e saudável: um estudo nos restaurantes populares do Rio Grande do Norte. Revista Da Associação Brasileira De Nutrição - RASBRAN, 9(2), 32-42. Recuperado de https://www.rasbran.com.br/rasbran/article/view/819
Seção
Temática