Percepção de nutricionistas sobre sua atuação profissional no contexto de supervalorização do corpo magro e escultural

Resumo

Objetivo: Identificar a percepção de nutricionistas sobre sua atuação profissional no contexto de supervalorização do corpo magro e escultural. Método: Foi realizado estudo transversal, de abordagem qualitativa com nutricionistas de Itajubá-MG. Todos eram maiores de 18 anos e ativos na profissão. A determinação da amostra foi de 12 nutricionistas, número suficiente para se atingir a saturação (Field Methods). Para a coleta de dados foi utilizado questionário sociodemográfico e entrevistas semiestruturadas, que foram gravadas e transcritas para posterior análise de acordo com a Metodologia de Bardin. Os depoimentos foram submetidos à análise de conteúdo, modalidade temática transversal. Resultados: Foram identificadas cinco temáticas relacionadas com os objetivos do estudo: 1. Nutrição e estética; 2. Impacto das dietas restritivas; 3. Busca pelo corpo perfeito; 4. Dificuldades no trabalho como nutricionista; 5. Saúde como bem-estar físico, mental e social. Conclusão: Foi possível identificar uma percepção negativa dos impactos causados pelo ideal moderno de corpo magro e escultural na atuação profissional do nutricionista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda Fonseca Barbosa Mendes
Graduação em Nutrição pela Universidade Federal de Viçosa (2016); Graduação em Comunicação Social com habilitação em jornalismo pela Universidade Federal de Viçosa (2009), Pós graduada em comportamento alimentar pelo Instituto de Pesquisa, Ensino e Gestão em Saúde (2019); Pós graduanda em Atenção Hospitalar Residência Multiprofissional pelo Hospital de Clínicas de Itajubá (2020)
Maria Vilela Pinto Nakasu
Formada em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP), Mestre em Filosofia e Metologia das Ciências pela Universidade Federal de São Carlos (2002), Doutora em Filosofia pela Universidade Federal de São Carlos (2007). Fez estágio de doutorado na École Pratiques de Hautes Études (França). Pos-doutora pelo Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo. (Bolsista FAPESP). Membro do GT de Filosofia e Psicanálise da ANPOF desde sua fundação em 2002. Membro do Laboratório de Teoria Social, Psicanalálise e Filosofia (LATESFIP/USP). Atualmente é Prof. Dr. da Faculdade de Medicina de Itajubá (FMIT, MG). Suas principais áreas de atuação tem sido: clínica psicanalítica, psicopatologia, qualidade de vida, obesidade, música e saúde e saúde mental dos estudantes de medicina.

Referências

Rios MTCA, Bruin MCB, Santos PL. Ensino Superior: a Psicologia na Formação do Nutricionista. Revista Brasileira de Ciências da Saúde. 2017; 21(1):77-86. Disponível em: http://www.periodicos.ufpb.br/index.php/rbcs/article/view/28695/16438

Luz MMA, Romero ABR, Brito AKS, Batista LPR, Nogueira LT, Santos MM, et al. A formação do profissional nutricionista na percepção do docente. Interface: Comunicação Saúde Educação. 2015; 19(54):589-601. Disponível em: https://www.scielosp.org/pdf/icse/2015.v19n54/589-601/pt

Conselho Federal de Nutricionistas. Código de Ética do Nutricionista. Resolução CFN n. 599, 2018. Disponível em: http://www.cfn.org.br/wp-content/uploads/resolucoes/Res_599_2018.htm

Cori GC, Petty MLB, Alvarenga MS. Atitudes de nutricionistas em relação a indivíduos obesos – um estudo exploratório. Revista Ciência & Saúde Coletiva. 2015; 20(2):565-576. Disponível em: https://www.scielosp.org/pdf/csc/2015.v20n2/565-576/pt

Lima RS, Neto JAF, Faria RCP. Alimentação, comida e cultura: o exercício da comensalidade. Demetra: Alimentação, Nutrição & Saúde. 2015; 10(3): 507-522. Disponível em: http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/demetra/article/view/16072/13748

Magalhães LM, Brasil AC, Tiengo BA. A influência de blogueiras fitness no consumo alimentar da população. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento. 2017; 11(68): 685-692. Disponível em: http://www.rbone.com.br/index.php/rbone/article/view/629/492

Torres AAL. Ponto de equilíbrio entre a Ciência da Nutrição e “Fat Studies”. Demetra: Alimentação, Nutrição & Saúde. 2016; 11(1): 1201-1212. Disponível em: http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/demetra/article/view/25885/19449

Souza AC, Alvarenga MS. Insatisfação com a imagem corporal em estudantes universitários – Uma revisão integrativa. Jornal Brasileiro de Psiquiatria. 2016; 65(3): 286-99. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0047-20852016000300286&lng=pt&tlng=pt

Cruz RMO, Machado BRC, Mota JN, Albuquerque SO, D`Avila LSP, Oliveira CSB. Comportamento alimentar e o posicionamento ético do profissional nutricionista. Revista Eletrônica Acervo Saúde. 2018; 12: 1277-1281. Disponível em: https://www.acervosaude.com.br/doc/REAS224.pdf

Guest G; Bunce A; Johnson L. How Many Interviews Are Enough? An Experiment with Data Saturation and Variability. Field methods. 2006 18: 59-82.

Minayo MCS. O Desafio do Conhecimento-Pesquisa Qualitativa em Saúde. São Paulo: Hucitec. 8ª ed. 2004.

Fontanella BJB; Saidel MG. Amostragem em pesquisas qualitativas: proposta de procedimentos para constatar saturação teórica. Cadernos de Saúde Pública. 2011; 27(2).

Fontanella BJB; Campos CJG; Turato ER. Coleta de dados na pesquisa clínico-qualitativa: uso de entrevistas não-dirigidas de questões abertas por profissionais da saúde. Revista Latino-Americana de Enfermagem. 2006; 14(5): 33-40.

Bardin L. Análise de Conteúdo. Lisboa, Portugal; 70ª ed. 2009.

Souza JCN; Fagundes A; Silva DG; Barbosa KBF. Formação, satisfação e perspectivas profissionais de egressos nutricionistas de uma universidade federal do nordeste brasileiro. Demetra: Alimentação, Nutrição e Saúde.. 2018; 13(1): 5-20. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/demetra/article/view/28602

Trindade NR; Santana PO; Pinho L. Qualidade de vida dos nutricionistas do norte de Minas Gerais. Revista da Associação Brasileira de Nutrição. 2016; 7(2): 17-23. Disponível em: https://rasbran.emnuvens.com.br/rasbran/article/view/186

Honorio ARF; Batista SH. Percepções e demandas de nutricionistas da alimentação escolar sobre sua formação. Trabalho, Educação e Saúde. 2015; 13(2): 473-492. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1981-77462015000200473&script=sci_abstract&tlng=pt

Souza LKCS; Campos FM; Kraemer FB; Machado PAN; Carvalho MCVS; Prado SP. Gênero e formação profissional: considerações acerca do papel feminino na construção da carreira de nutricionista. Demetra: Alimentação, Nutrição e Saúde.. 2016; 11(3): 773-788. Disponível em: https://www.e publicacoes.uerj.br/index.php/demetra/article/view/23426

Pereira TN; Nascimento FA; Bandoni DH. Conflito de interesses na formação e prática do nutricionista: regulamentar é preciso. Ciência & Saúde Coletiva. 2016; 21(12): 3833-3844. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1413-81232016001203833&lng=pt&nrm=iso

Romani PF; Strey MN. Hábitos alimentares saúde e cultura o olhar de profissionais da nutrição em uma cidade de colonização italiana. Revista Conhecimento Online. 2019; 1(1): 66-86. Disponível em: https://periodicos.feevale.br/seer/index.php/revistaconhecimentoonline/article/viewFile/1490/2271

Santos JCR; Rocha KM; Baroneza AM; Fernandes DR; Souza VV; Baroneza JE. Metodologias ativas e interdisciplinaridade na formação do nutricionista. Ciências Socias e Humanas. 2017. 38 (1): 117-128. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/seminasoc/article/view/28205/21729

Recine E; Gomes RCF; Fagundes AA; Pinheiro ARO; Teixeira BA; Souza JS; Toral N; Monteiro RA. A formação em saúde pública nos cursos de graduação de nutrição no Brasil. Revista de Nutrição de Campinas. 2012. 25(1):21-33. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1415-52732012000100003&script=sci_abstract&tlng=pt

Silva BL; Cantisanil JR. Interfaces entre a gordofobia e a formação acadêmica em nutrição - um debate necessário. Demetra: Alimentação, Nutrição e Saúde. 2018. 13(2): 363-380. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/demetra/article/view/33311

Job AR; Oliveira ACS. Percepção dos acadêmicos de nutrição sobre a efetividade a longo prazo dos métodos de dietas restritivas para a perda e o controle de peso. Revista Brasileira de Obesidade. 2019. 13(78): 291-298. Disponível em: http://www.rbone.com.br/index.php/rbone/article/view/941

Pereira GAL; Motal LGS; Caperuto EC; Chaud DMA. Adesão de dietas da moda por frequentadores de academias de musculação do município de São Paulo. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. 2019. 13(77): 131-136. Disponível em: http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article/view/1268

Nogueira LR; Mello AV; Spinelli MGN; Morimoto JM. Dietas da moda consumidas por desportistas de um clube e academias em São Paulo. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. 2016. 10(59): 554-561. Disponível em: http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article/view/689

Souza LMA; Sanches RD. O corpo no discurso midiático das dietas - efeitos do novo e da novidade. Revista Famecos (Online). 2018. 25(1). Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistafamecos/article/view/27408

Silva AFS; Neves LS; Japur CC; Penaforte TR; Penaforte FRO. Construção imagético-discursiva da beleza corporal em mídias sociais - repercussões na percepção sobre o corpo e o comer dos seguidores. Demetra: Alimentação, Nutrição e Saúde. 2018. 13(2): 395-411. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/demetra/article/view/33305

Andrade ALCC; Barbosa APDI; Bagni UV. Imagem corporal no cárcere - percepções de mulheres privadas de liberdade. Demetra: Alimentação, Nutrição e Saúde.2018. 13(2); 381-393. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/demetra/article/view/33309

Gori M; Viebig RF. Influência da mídia sobre a aparência de professoras de São Paulo. Demetra: Alimentação, Nutrição e Saúde. 2018. 13(2): 447-462. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/demetra/article/view/32667

Lira AG; Ganen AP; Lodi AS; Alvarenga MS. Uso de redes sociais, influência da mídia e insatisfação com a imagem corporal de adolescentes brasileiras. Jornal Brasileiro de Psiquiatria. 2017. 66(3) -164-71. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0047-20852017000300164

Torres AAL. Adesão ao tratamento dietético para o emagrecimento: da teoria à prática. Revista Brasileira de Nutrição Funcional. 2019. 43(78). Disponível em: https://www.vponline.com.br/portal/noticia/pdf/e54b8abafcd2ced233931cc42bc5f78e.pdf

Demenech MC; Bernardes S. Metas alimentares versus dieta - qual oferece melhores resultados em pacientes com excesso de peso. Revista da Associação Brasileira de Nutrição. 2017. 8(1): 26-30. Disponível em: https://www.rasbran.com.br/rasbran/article/view/466

Soares AM; Oliveira C; Rocha TR; Cordoba GMC; Nobre JAS. Porque obesos abandonam o planejamento nutricional em uma clínica-escola de nutrição. Revista Brasileira de Obesidade. 2017. 11(66):368-375. Disponível em: http://www.rbone.com.br/index.php/rbone/article/view/551

Araújo KL; Pena PGL; Freitas MCS; Diez-Garcia RW. Estigma do nutricionista com obesidade no mundo do trabalho. Revista de Nutrição de Campinas. 2015. 28(6):569-579. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1415-52732015000600569&script=sci_abstract&tlng=pt

Ferreira FR. Algumas considerações acerca da medicina estética. Ciência e Saúde coletiva. 2010. 15(1):67-76. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-81232010000100012&script=sci_abstract&tlng=pt

Mota JJO; Almeida LC; Neves VHS; Silva EB; Oliveira DA. Análise de conteúdos de posts sobre alimentação divulgados por influenciadoras digitais na rede social Instagram. Demetra: Alimentação, Nutrição e Saúde. 2019. 14: 1-18. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/demetra/article/view/39076

Araújo JS; Xavier MP. O conceito de saúde e os modelos de assistência - considerações e perspectivas em mudança. Revista Saúde em Foco. 2014. 1(1): 117-149. Disponível em: http://www4.fsanet.com.br/revista/index.php/saudeemfoco/article/view/326/382

Gonçalves DVC; Brito LC; Carvalho MR; Sampaio CA. Percepção sobre o Adoecimento entre Estudantes de Cursos da Área da Saúde. Revista Brasileira de Educação Médica. 2015. 39 (1): 102 – 111. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100-55022015000100102&script=sci_abstract&tlng=pt

World Health Organization (WHO). Officials Records of the World Health Organization. New York: WHO; 1948.

Publicado
2020-09-23
Como Citar
Fonseca Barbosa Mendes, F., & Vilela Pinto Nakasu, M. (2020). Percepção de nutricionistas sobre sua atuação profissional no contexto de supervalorização do corpo magro e escultural. Revista Da Associação Brasileira De Nutrição - RASBRAN, 11(1), 3-18. https://doi.org/10.47320/rasbran.2020.1704
Seção
Artigos Originais